Foxtrot: uma das danças de salão mais entusiasmantes

Uma das danças de salão que mais adeptos entusiasma, o Foxtrot é conhecido pelos seus movimentos longos e contínuos que, executados por um par de dançarinos, ao som de grandes bandas de jazz, proporciona um verdadeiro e apaixonante espetáculo de dança.

Origem do Foxtrot

Apesar de serem conhecidas várias versões relativamente à origem do Foxtrot, uma das quais aponta para raízes remotas em África, em danças primitivas que imitavam a raposa – daí o nome “fox” (em português raposa), a mais viável é a que atribui a sua origem ao responsável pela sua divulgação – o ator Harry Fox. Harry Fox foi um ator de comédias musicais que em 1914 criou uma dança, possivelmente o Foxtrot, para animar os espetadores do Teatro de Nova Iorque, ao som de uma música Ragtime.

O Foxtrot foi apresentado pela primeira vez em público, em 1914, nos  Estados Unidos da América, pelo casal Vernon e Irene Castle que, graças à sua notoriedade, acabaram por marcar esta nova dança com características de grande estilo e graciosidade.

Os primeiros passos do Foxtrot

Apesar do seu surgimento nos Estados Unidos da América no início do século XX, foi apenas na década de 1930 que o Foxtrot alcança o seu expoente máximo, provavelmente devido ao clima que se vivia após a I Guerra Mundial.

O Foxtrot chegou à Europa na década de 1920, mas não foi recebido de forma consensual, sobretudo devido à resistência de um meio social mais conservador, que não via com bons olhos as influências vindas do continente americano. Contudo, face ao carácter enérgico e à beleza desta dança, caracterizada por uma grande versatilidade e variação rítmica, o Foxtrot acabou por se popularizar também na Europa.

Ao longo do tempo, face às variantes que foram surgindo, o Foxtrot deu origem a dois tipos de dança, uma mais lenta, que ficou com o nome original, Foxtrot; e uma mais rápida, que foi denominada como Quickstep. O Quickstep surgiu na Europa, nomeadamente em Inglaterra, sob a influência do Charleston, num ritmo que tem 48 e 52 compassos por minuto. Esta variante do Foxtrot surge também num contexto caraterizado pelo aparecimento de novos géneros musicais, nomeadamente o Ragtime e o Jazz.

Dançar o Foxtrot

Aquilo que mais caracteriza esta dança são os movimentos longos e contínuos, efetuados pelo par de dançarinos, em sentido contrário ao do relógio, ao longo de toda a pista. Esta dança de salão é sempre recebida com grande entusiasmo por todos os espectadores, pelo caráter elegante e sofisticado que assume, fator que, associado à música, normalmente de grandes bandas de jazz, cria o efeito necessário para um grande espetáculo de dança. À primeira vista, um espetador menos conhecedor poderá encontrar algumas parecenças com a Valsa, embora os ritmos sejam diferentes, pois a Valsa tem um ritmo ternário e o Foxtrot utiliza o ritmo quaternário. 

5 curiosidades sobre o Foxtrot

  1. A canção "Rock Around the Clock" de Bill Haley and The Comets, é a mais vendida, de entre as tocadas para a dança Foxtrot, de todos os tempos.
  2. Apesar do sucesso da Valsa e do Tango, estas modalidades de dança de salão nunca alcançaram a popularidade do Foxtrot.
  3. O Foxtrot americano é mais divertido e teatral do que aquele que é apresentado no meio internacional, sendo a sua coreografia influenciada pelo estilo muito próprio de Fred Astaire e Ginger Rogers.
  4. A primeira organização profissional da dança, o International Council of Ballroom Dancing, criada em 1950 na Escócia, e propulsionadora das competições de danças de salão, confirmou a importância e o estatuto do Foxtrot, ao incluir esta dança entre modalidades como a Valsa, o Rock 'n Roll, a Rumba, o Paso Doble, o Chá-Chá-Chá, o Tango, o Samba e o Disco.
  5. Atualmente, o Foxtrot faz parte de todos os campeonatos mundiais de danças de salão que se realizam um pouco por todo o mundo.

 

A sua votação: 
Average: 4.9 (7 votos)